Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Manutenção

O segredo do diesel no mercado brasileiro

 06 de março

Muitas das dúvidas mais comuns sobre a manutenção preditiva se referem às anormalidades referentes ao motor a diesel e ao uso do óleo diesel. Portanto, conhecer bem as principais características do óleo diesel e seus tipos no mercado brasileiro pode ser fundamental para o sucesso da sua empresa e para o funcionamento adequado de seus equipamentos.

Discutiremos neste post o papel do óleo diesel no mercado e a importância de investimentos em ferramentas de manutenção preditiva e análise de fluidos no plano de negócios da organização para sua conservação e produtividade.

Diesel: os diferentes tipos no Brasil

Algumas das principais incertezas sobre o óleo diesel consistem em quais as diferenças entre o Diesel S-10 e o Diesel S-50. Basicamente, a principal diferença reside no teor de enxofre presente em cada um deles, isto é, o Diesel S-10 tem 10 partes por milhão, e o S-50 possui 50 partes por milhão (ppm).

O Diesel S-10 é aquele com teor de enxofre máximo de 10 ppm, com número de cetano de 48, contra 42 do Diesel S-500/1800 e 46 do Diesel S-50. O número de cetano mede a qualidade de ignição. Além disso, possui uma faixa estreita de variação da massa específica (820 kg/m³ a 850 kg/m³) e curva de destilação com a temperatura dos 95% evaporados de no máximo 370ºC.

Assim, a diferença entre o S-10 e o S-50 também se faz presente na baixa emissão de poluentes como o NOx (dióxido de nitrogênio) e o SOx (dióxido de enxofre).

Ainda vale lembrar que, desde 2014, o novo diesel menos poluente agora é obrigatório em todo o território nacional. A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustível (ANP) prevê a comercialização exclusiva e obrigatória do Diesel S-10 e do Diesel S-500, com baixo teor de enxofre, para a frota de caminhões, ônibus e outros veículos do ciclo diesel de uso em estrada.

 

Diesel: presença de enxofre e lubrificação

O óleo diesel antigo se diferenciava da gasolina pelo maior ponto de fulgor e pelo maior poder de lubrificação, sendo esta última uma característica essencial para a durabilidade das agulhas dos injetores. O maior poder de lubrificação era consequência da presença do enxofre, mas, para que houvesse a diminuição no teor de enxofre, houve o aumento da participação do biodiesel na composição do óleo diesel.

Importante para compensar a diminuição do teor de enxofre, o biodiesel também trouxe outros problemas pontuais, principalmente relacionados à lubrificação e à formação de bactérias. Alguns deles são: durabilidade menor do combustível, obstrução dos bicos injetores, desgaste nas agulhas dos injetores, entupimento do filtro de combustível e formação de sedimentos.

Todos esses são problemas que podem estar relacionados à formação de bactérias, corrosão do sistema de injeção e até à contaminação do óleo lubrificante. Logo, a análise de fluidos, como o óleo lubrificante, consiste em um instrumento que garante a boa qualidade dos componentes internos dos equipamentos. Para motores de combustão interna acionados por ciclo diesel, o uso dessa ferramenta analisa o tipo de desgaste nos componentes internos e também possibilita uma análise minuciosa nas propriedades do óleo lubrificante utilizado.

Com a contaminação do lubrificante pelo combustível ou com a própria combustão do biodiesel, o lubrificante pode sofrer alterações físico-químicas. Muitas vezes, isso ocasiona desgastes ou outros tipos de consequência ao motor, sendo fundamental o monitoramento por meio da análise do lubrificante para o bom desempenho do motor a diesel. O uso dessa ferramenta da manutenção preditiva está diretamente ligado à boa produtividade e à disponibilidade do parque industrial, garantindo a qualidade dos componentes internos dos equipamentos.

 

Conclusão

Conhecendo um pouco mais sobre o diesel e seus diferentes tipos e propriedades, você também aprende mais sobre as necessidades do maquinário de sua empresa. Visando à garantia de alta produtividade e ao bom desempenho do motor a diesel, é necessário um acompanhamento rigoroso, com a aplicação dos métodos que compõem a manutenção preditiva, como a análise de fluidos.

A ausência desse tipo de manutenção deixa os motores a diesel e demais máquinas susceptíveis a sérios desgastes e problemas em componentes importantes, podendo acarretar até mesmo a parada nas operações.

A Oilcheck sabe o que é melhor para o seu equipamento. Fale com um de nossos especialistas.

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS