Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Análise de Óleo

A importância da escolha da viscosidade correta para cada compartimento

 26 de janeiro

Para uma correta aplicação do lubrificante em seu equipamento, seja qual for o compartimento, é necessário ter conhecimento mais aprofundado sobre a sua principal característica, isto é, a viscosidade.

A viscosidade de um lubrificante está diretamente ligada às forças de atração internas entre as moléculas e o tamanho delas. Dessa forma, quanto maiores forem as forças de atração e o tamanho das moléculas do lubrificante, maior será o atrito interno e, por consequência, maior será a viscosidade.

Quando se trata de aplicações onde as folgas são mínimas, recomenda-se o uso de um óleo com menor viscosidade, com a finalidade de preencher e proteger todos os espaços através do filme de lubrificante; como exemplo, sistemas hidráulicos de equipamentos móveis que possuem diversas válvulas.

Para a operação com carga elevada, recomenda-se o uso de um lubrificante com viscosidade maior, a fim de garantir que a película de lubrificante não seja rompida com o aumento da carga, como no caso de diferenciais de caminhão.

A espessura do óleo é uma das formas visíveis de analisa-lo, e ao ser aquecido é perceptível a diminuição da sua espessura, fazendo com que ele flua com maior facilidade. A fluidez do óleo juntamente com a sua capacidade de suporte a cargas é que será responsável pela proteção dos componentes contra desgastes que geram falhas no equipamento. Em altas velocidades também existe o risco de perda de características do lubrificante e desgaste das peças.

Seja qual for o fabricante do seu óleo, é importante monitorar a viscosidade do lubrificante, se possível analisar o óleo novo e realizar um teste comparativo com as fichas técnicas fornecidas pelos próprios fabricantes e continuar esse monitoramento com análises periódicas para melhor confiabilidade do seu equipamento.

Outro fator importantíssimo é avaliar quais aditivos presentes no óleo são requeridos para cada aplicação, já que cada tipo de equipamento e seu regime de operação necessita de carga aditiva diferenciada, como nas altas cargas e na variação brusca de temperatura.

Fique atento ao lubrificante do seu equipamento, pois ele pode te fornecer informações importantes, produtivas e evitar perdas financeiras.

 

Escrito por: Rafael Alves – Especialista Oilcheck.

 

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS