Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Manutenção

Fontes de contaminação de sódio e potássio: importância de se analisar esses dois elementos

 30 de setembro

Dentro das incansáveis buscas por maior produtividade a um custo mais baixo, está a modernização dos equipamentos. Com isso, os sistemas de lubrificação das máquinas estão cada vez mais sensíveis à contaminação, e a análise do lubrificante se torna uma das ferramentas de controle de maior importância. Dentre os contaminantes mais comuns, estão os que são apresentados nos resultados de sódio e potássio. A alta concentração desses elementos no óleo lubrificante é forte indício de contaminação por líquido arrefecedor ou por detergente (sabão).

Mas como identificar esse tipo de contaminação por meio de análise de óleo?

O primeiro passo é distinguir os compartimentos constituídos por Sistemas de Arrefecimento (como motores e transmissões automáticas) dos que não são organizados dessa maneira (como redutores e diferenciais). Tal identificação é importante para o correto direcionamento da intervenção. A alta concentração de sódio e potássio numa amostra de motor diesel, por exemplo, deverá ter a intervenção direcionada para o Sistema de Arrefecimento. Já no caso de uma amostra de um diferencial, as intervenções devem ser direcionadas à contaminação externa, como o procedimento de limpeza do equipamento.

Mas em que momento os valores de sódio e potássio encontrados devem ser considerados uma contaminação?

Antes de mencionar esses valores, devemos ressaltar a importância de se avaliar também os resultados dos elementos de desgaste, uma vez que a combinação desses nos dá condições de mapear as fontes da contaminação. Os valores de sódio e potássio iguais ou inferiores a 25ppm não indicam problemas e são normais. Já os valores superiores a 25 ppm assinalam contaminação por detergente ou por líquido arrefecedor; neste último ocorre também aumento da concentração de um ou mais elementos de desgaste, geralmente cobre, chumbo e estanho.

O mais importante, porém, é ter a consciência de que a alta concentração de sódio e potássio apresentada na amostra de óleo é forte indicador de que algo não está funcionando bem e que, portanto, deve ser monitorado de perto. Essa preocupação se justifica porque esses tipos de contaminantes causam aumento de desgaste dos componentes, podendo chegar a falhas prematuras.

Entre em contato com os especialistas da Oilcheck para tirar suas dúvidas.

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS