Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Manutenção

Como controlar mais, gastando menos

 09 de janeiro

A manutenção se torna um setor ainda mais relevante em um momento de recessão. Embora também sofra com cortes de pessoal, como os demais setores, é um setor extremamente exigido em dias como os que vivemos hoje. Investimentos em novos equipamentos são reduzidos, a equipe é enxuta e a necessidade continua a mesma: garantir a disponibilidade dos equipamentos com o menor custo possível. A evolução dos equipamentos, ainda que mais lenta no Brasil que em outras partes do mundo, exige maior informação por parte dos responsáveis para providenciar o reparo e, principalmente, evitá-lo. Certamente, sabemos que quebras e paradas sempre ocorrerão, mas também não podemos negar que elas podem e devem ser reduzidas.

Sendo a contaminação o maior vilão de sistemas hidráulicos e motores a diesel, por mais que combatamos a água e filtremos os fluidos, não são poucos os relatos de quebras inesperadas. Empresas que fazem uso da manutenção preventiva já estão décadas à frente da grande maioria em nosso país. A manutenção corretiva segue sendo a campeã, e a pouco divulgada, mas extremamente adotada “corretiva programada”, em que existe programação para lidar com danos já existentes, é certamente uma prática no pódio atual.

Muitos se queixam da falta de pessoal qualificado e, principalmente, em tempos como esses, simplesmente da falta de pessoal. Não há alguém para gerir lubrificantes, componentes, equipamento, frentes de trabalho, plantas industriais. Corremos o risco de trabalharmos apagando incêndios, mas sem apagar a chama.

O que fazer então para ter em mãos informações úteis para gerenciar os equipamentos, sem acréscimo de pessoal e sem grandes investimentos?

1 – Utilize-se dos seus fornecedores 

Muito tempo é usado em qualquer empresa, para resolução de pequenas e grandes questões, que poderiam ser resolvidas em tempo muito menor, se ao menos fizéssemos uma breve consulta ao fornecedor. Questões de software, telefonia, dúvidas sobre especificação do lubrificante, uma peça específica e até aspectos gerais do seu equipamento podem ser consultados direto no fabricante. Tenha ao seu lado os fornecedores como fonte de informação.

2 – Aplique técnicas simples de monitoramento

Insira técnicas como a análise de fluidos no dia a dia da sua manutenção. Inicialmente, a coleta pode ser efetuada juntamente com os períodos de troca do óleo, o que não lhe tomará tempos adicionais, pois as paradas para a troca já estão programadas para acontecer. Utilize-se da análise de fluidos para direcionar as ações a serem realizadas. Vá muito além da ideia de trocar ou não o óleo. Lembre-se do tópico 1 e perceba que, quando o laboratório informa alta concentração de sódio no óleo do motor, o mesmo pode ser proveniente de sabão no momento da lavagem do equipamento, e alguma vedação deve ser checada, pois certamente mais contaminação está se aproveitando desse espaço e a falha é iminente. Leia as instruções de recomendação do laboratório e escolha um fornecedor que entenda do que está falando. Faça a inspeção dos filtros. As informações visuais contidas nos mesmos podem lhe dizer muito sobre a condição atual da frota.

3 – Antecipe-se às falhas

Agir preventivamente, garantindo a disponibilidade dos equipamentos, a produção e a entrega das atividades nos prazos sempre trará maior rentabilidade ao negócio. Agora que você possui dos seus fornecedores e de suas técnicas aplicadas informações substanciais para uma manutenção preditiva, utilize-se da sua equipe para buscar a causa raiz das falhas. Elimine-as. Tenha conhecimento da condição de cada equipamento e cada componente, pois isso vai ajudá-lo a se cercar dos melhores fornecedores.

Entender mais, enxergar mais e, principalmente, agir antes da falha. O controle das informações de sua frota lhe permitirá avançar décadas na manutenção e lhe trará ganhos expressivos.

Escrito por: Samuel Herrera – Especialista Oilcheck.

Comentários:

Manutenção Preditiva | 13 de janeiro
Pode sim, Eladio. Com certeza.

Comentários:

Eladio Barrios | 11 de janeiro
Muito boa as colocações apresentadas, na construção do raciocínio da pró atividade! Posso fazer uso do texto em minhas publicações na rede ?

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS