Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Análise de Óleo

Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

 11 de julho

Introdução

O sucesso da sua empresa depende diretamente da boa performance dos equipamentos. Por isso, os investimentos em ferramentas de manutenção preditiva, como a análise de óleo, devem ser uma das prioridades no plano de negócios da organização

O que é análise de óleo?

A análise de óleo é uma das mais importantes ferramentas da manutenção preditiva e permite realizar avaliações laboratoriais rápidas e precisas sobre o lubrificante utilizado nos equipamentos. Com a análise de óleo, torna-se possível detectar tanto os desgastes das peças móveis dos equipamentos quanto a presença de substâncias contaminantes.

Com um diagnóstico preciso a partir da análise de óleo permite, a equipe responsável pela manutenção das máquinas e equipamentos da sua empresa pode identificar mais rapidamente e até mesmo antecipar possíveis erros, evitando comprometer o desempenho do serviço ou qualidade do produto.

Ao apostarem na análise de óleo, as empresas só têm a ganhar em benefícios. A vida útil dos componentes é ampliada, reduzindo, assim gastos com materiais de reposição, trocas de óleo desnecessárias e mão de obra em manutenções não programadas.

Origem da análise de óleo

Tudo começou com na década de 1950, durante a primeira fase da crise do petróleo. Com o abastecimento interrompido e aumento súbito do preço do petróleo, a análise de óleo tornou-se uma alternativa das empresas para avaliar as condições dos lubrificantes de suas máquinas e equipamentos. A importância da análise de óleo ganhou ainda mais destaque nos anos seguintes, quando governos de todo o mundo começaram a consolidar as suas leis ambientais, obrigando a indústria a adotar técnicas preditivas, como análise de óleo, em prol do meio ambiente.

Como funciona?

Para os bons resultados, a empresa passa por um processo de análise de óleo criterioso. O primeiro passo é identificar a necessidade de investir e planejar a manutenção preditiva. Na fase seguinte, é preciso definir quais equipamentos e compartilhamentos serão monitorados – lembrando que cada equipamento possui suas especificidades. Em seguida, são definidas as ferramentas necessárias para a implantação do programa e coleta dos fluídos. As amostras de óleo são analisadas e, apenas na Oilcheck, os resultados estarão consolidados em 24 horas.

EBOOK: Conheça os 5 passos da análise de óleo

Obrigado! Você pode fazer o download do E-Book acessando este link.

Tipos de análise:

Existem quatro tipos de análise de óleo: análise físico-química, análise de contaminações, espectrometria e ferrografia. Saiba mais sobre cada uma delas.

  • Análise físico-química: avalia as condições do lubrificante pontualmente ou em análises periódicas.
  • Análise de contaminações: identifica a presença de substâncias que podem contaminar o sistema. O óleo pode ser contaminado por causa do desgaste do equipamento ou por reações químicas do lubrificante.
  • Espectrometria: com esse método é possível identificar os elementos químicos presentes no lubrificante, já que o óleo passa por um processo de combustão e é desintegrado até o nível atômico. Essa análise é indicada para obter informações mais precisas sobre desgastes, contaminações e identificar aditivos.
  • Ferrografia: analisa as partículas encontradas nos lubrificantes para identificar o grau e o motivo do desgaste de máquinas e equipamentos.

 

Benefícios da análise de óleo

Uma análise de óleo eficaz:

  • Possibilita programar intervenções e manutenções de peças.
  • Antecipa situações de risco de falhas.
  • Reduz custos com manutenção e estoque.
  • Evita paradas desnecessárias, aumentando a disponibilidade do maquinário.

 

Óleos essenciais para fazer a análise

A análise de óleo pode ser feita em três tipos de fluidos:

  • Diesel: quando contaminado, pode comprometer a produtividade dos equipamentos e apresentar falhas prematuras de bombas e bicos injetores.
  • Hidráulico: um sistema hidráulico contaminado pode apresentar falhas em bombas e válvulas, perder a eficiência por fugas internas, desgastar prematuramente o equipamento e demandar excesso de troca de óleo.
  • Lubrificante: a contaminação no óleo lubrificante pode comprometer a sua eficácia e acarretar maiores problemas ao maquinário. Assim, demandam sucessivas paradas para manutenções e trocas de peças, o que prejudica bastante a produtividade.

 

O processo correto de coleta do óleo para análise

As amostras de óleo devem ser armazenadas em seringas ou frascos de vidro. Não esqueça de preencher a etiqueta e anexá-la ao recipiente ao final da coleta. Antes de coletar, limpe a válvula de amostragem com um pano seco e limpo. Abra a válvula de amostragem e drene um litro de óleo para limpar internamente. Se a coleta for feita com seringa, o procedimento irá precisar de outras etapas. Encha a seringa e despreze o óleo. Encha novamente e deixe a seringa em repouso por mais ou menos cinco minutos para concentrar as bolhas de ar. Na sequência, abra a torneira da seringa e deixe o ar sair. O ideal é deixar na seringa no mínimo 20ml de óleo.

A coleta não é indicada para dias que apresentem umidade relativa do ar superior a 70%, nem em períodos noturnos.

 

Vantagens da análise de óleo para a construção

Os grandes equipamentos empregados nos setores da construção podem ter sua vida útil estendida por meio de ações de manutenção preditiva em que é empregada a análise de óleo. Verificar a qualidade dos óleos utilizados nos equipamentos permite identificar problemas antes que estes se tornem graves. O sistema de limpeza do óleo assegura a limpeza dos lubrificantes utilizados nos equipamentos e a análise permite monitorar a saúde das máquinas – tudo isso a baixos custos.

A análise de óleo possibilita saber das condições físicas e químicas dos lubrificantes, sendo praticamente a única ferramenta que permite apontar – por meio de ações de inspeção objetivas e diretas – falhas prematuras nos equipamentos. Consequentemente, isso gera uma redução de custos com manutenção.

Em uma carregadeira, por exemplo, se uma pequena amostra de óleo aponta contaminação por água e alta concentração de cobre, significa que há contaminação interna e externa por líquido arrefecedor. Diante disso, é possível averiguar vedações danificadas, as ações de limpeza e coleta nos equipamentos, indícios de vazamento, além de problemas nos trocadores de calor e intercorrências nas operações da máquina. Em casos como esse, a análise de óleo pode orientar ações pontuais, que antecipam intervenções sobre danos maiores e mais onerosos. Veja o estudo de caso completo para construção.

 

Vantagens da análise de óleo para a mineração

Nas minas, são muitas as máquinas necessárias para a lavra: carregadeiras, britadeiras, equipamentos para moagem, perfuratrizes, desmontes, carros e caminhões subterrâneos. Quando um equipamento é parado por manutenção ou troca de componente, todo o processo produtivo mineral fica comprometido. Por isso, assim como para a construção, as mineradoras devem investir em análise de óleo para identificar em antemão a saúde e a vida útil dos lubrificantes de equipamentos evitando paradas e gastos excessivos. Veja o estudo de caso completo para mineração.

 

Vantagens da análise de óleo para o agronegócio

A análise de óleo pode trazer ganhos significativos para o agronegócio em termos de qualidade da manutenção e redução de custos. Em um importante equipamento como uma colhedora, por exemplo, se a análise em uma pequena amostra de óleo indicar que há queda na viscosidade do lubrificante e alta contaminação por diesel, significa que há irregularidades no sistema de injeção. Diante disso, é possível realizar verificações pontuais ligadas ao problema, detalhando ainda mais suas causas. Isso permite orientações mais pontuais com relação às alternativas de inspeção.

Nesse caso, a contaminação do óleo pelo diesel poderia ser por conta de um vazamento no retentor da bomba injetora. Para este problema, basta que sejam trocadas apenas as vedações, a um custo aproximado de R$ 800. Caso o problema não tivesse sido identificado por meio da análise de óleo, poderiam ocorrer falhas na parte superior do motor, danos em pistões, camisas e outros, gerando um custo que poderia ultrapassar os R$ 23 mil, o que demonstra a eficácia da análise de óleo em equipamentos de grande porte. Veja o estudo de caso completo para agronegócio.

 

Prejuízos que podem ocorrer sem a análise de óleo

A análise de óleo é uma importante variável da manutenção preditiva. Como visto nos exemplos acima, ela permite uma programação mais assertiva de inspeções. A ausência desse tipo de manutenção deixa os equipamentos passíveis de problemas sérios em componentes importantes e até mesmo à paradas nas operações. Tais paradas representam grandes prejuízos a todo o processo produtivo das empresas, na medida em que exigem manutenções de caráter corretivo – de custo muito mais elevado – além da troca de componentes de custo mais oneroso para as empresas.

 

5 mitos sobre análise de óleo

Fazer análise de óleo aumenta os custos operacionais

Mesmo que ações de manutenção preditiva representem um custo no orçamento, sua realização é a maneira mais assertiva de manter equipamentos funcionando sem paradas ou problemas graves que demandam altos custos de reparação. A manutenção preditiva possibilita prever falhas graves e evitar gastos com a manutenção corretiva – a mais cara das manutenções.

Deve-se fazer a análise de óleo apenas quando o equipamento apresentar defeito

A manutenção preditiva preconiza um acompanhamento constante dos indicadores dos equipamentos – principalmente os de óleo –, mesmo sem avaria nas máquinas.

É preciso fazer coletas durante um longo período antes de enviar

Quanto mais rápido, mais sucesso o programa de análise terá. Por isso, quanto mais rápidas as entregas forem feitas nos laboratórios, melhor. O atraso na entrega pode comprometer a tomada de decisões com relação à manutenção antes de uma possível falha.

A coleta de óleo de apenas um compartimento dá o diagnóstico de todo o equipamento

Para saber que compartimentos podem vir a apresentar problemas futuros é preciso coletar fluidos de cada um deles na manutenção preditiva.

A identificação de um alerta significa que o equipamento deve ser paralisado imediatamente

Não exatamente. Com o alerta amarelo não é necessária uma intervenção imediata, mas é preciso programar inspeções no compartimento em questão para checar as condições do equipamento.

 

Treinamentos de análise de óleo

Treinamentos com foco em manutenção preditiva ajudam a aprimorar conhecimentos sobre essa modalidade de manutenção e a entender mais sobre a importância da análise de óleos para manter a vida útil dos equipamentos. Conheça alguns desses treinamentos.

Treinamento de coleta e controle de contaminação

Ao apresentar todos os processos do Programa de Análise de Custos, o treinamento dá destaque à etapa da coleta como a mais importante. Aqui, os participantes veem, na prática, a demonstração de como fazer uma coleta adequadamente. O treinamento também aborda a importância de fazer o controle de contaminação desde a chegada do óleo até o seu uso.

Treinamento de indicadores de anormalidades

Apresenta as técnicas de análise de resultados físico-químicos empregadas para apontar componentes danificados nos equipamentos.

Treinamento de lubrificantes e interpretação de resultados

Objetiva capacitar os participantes a interpretarem resultados com foco no bom funcionamento do equipamento e condição dos óleos.

 

5 vídeos que vão fazer entender melhor a importância da análise óleo

Análise de óleo

O especialista destaca a função primordial da análise de óleo para a manutenção preditiva e para a redução nos custos de manutenção. O vídeo apresenta tópicos importantes para efetuar um programa eficiente de análise de óleo.

Armazenamento do lubrificante

O especialista destaca a importância de armazenar corretamente o lubrificante para controle da contaminação do fluido.

Contaminação de óleo

O vídeo traz três dicas para manter a qualidade dos lubrificantes. A primeira se refere ao cuidado no abastecimento dos equipamentos – o óleo precisa ser transportado com qualidade, para evitar contaminação por ferrugem e poeira, por exemplo. A segunda é manter os compartimentos do equipamento bem selados, evitando contaminantes do meio ambiente. Por fim, chama a atenção para o monitoramento do grau de limpeza, por meio da análise de óleo.

Água no diesel

O especialista esclarece dúvidas sobre a contaminação de óleo por água, que pode causar corrosão no reservatório, produzindo elementos contaminantes que podem ser transportados até bombas e bicos injetores gerando desgastes. O vídeo traz dicas para evitar esses problemas.

Escolha as análises corretas

O vídeo destaca que as análises do óleo devem estar de acordo com a necessidade do monitoramento dos equipamentos, do contrário compromete o programa de manutenção preditiva. O especialista discute a análise de metais, recomendada para todos os equipamentos lubrificados a óleo.

 

5 sites para saber ainda mais sobre análise de óleo

1 – Manutenção Preditiva

Esse blog traz um leque completo de informações úteis para melhorar a performance dos equipamentos e evitar manutenções de alto custo.

2 – Manutenção em Foco

Site dedicado à manutenção de ativos e gestão de pessoas.

3 – Mecânica Online

É possível encontrar novidades da tecnologia e engenharia, além de artigos sobre veículos, mercados e lançamentos.

4 – Reliability Web

Nesse site em inglês, é possível acompanhar as últimas notícias sobre manutenção preditiva e sobre a indústria.

5 – Noria

Também em inglês, o site traz dicas sobre lubrificação, filtragem e viscosidade, além de artigos sobre temas ligados à análise de óleo.

 

Livros sobre análise de óleo

Quer ainda mais informação? Veja essas quatro sugestões de livros que abordam a análise de óleo e sua importância.

1 – Oil Analysis for Dummies

Esse livro de bolso de 90 páginas contém informações detalhadas que vão ajudar você a entender melhor a importância da análise de óleo e os pontos fundamentais da lubrificação em equipamentos. Um guia prático útil para qualquer profissional de manutenção.

2 – Machinery Oil Analysis – Methods, Automation & Benefits 3rd Edition

A análise de óleo é apresentada como uma importante ferramenta para monitorar as condições de funcionamento dos equipamentos. Um texto mais profundo que aborda conceitos de lubrificação, falhas, manutenção, fluidos, filtração, óleos de amostra, além de análise e interpretação de dados.

3 – Sourcebook for Used Oil Elements

O leitor consegue entender os elementos que podem se tornar indesejados contaminantes de óleos em seus equipamentos e de que forma eles podem contaminar os lubrificantes.

4 – Daily One-Minute Lubrication Inspections and Field Tests

O livro aponta as inspeções de rotina como a forma mais fácil de se evitar falhas nos equipamentos. Traz os diversos elementos ligados à lubrificação que podem ser monitorados e que podem ser a base para a elaboração de um programa de monitoramento.

 

Conclusão 

Todo esse leque de informação deixa clara a importância da manutenção preditiva e da análise de óleo para gerar mais confiabilidade e disponibilidade nos equipamentos, sem prejuízos ao processo produtivo – sem perdas em componentes ou paradas de máquinas. Tudo isso gerando redução de custos e praticando uma modalidade de manutenção muito mais inteligente e eficiente.

Agora que você já sabe tudo sobre análise de óleo, entre em contato com os nossos especialistas e faça uma cotação. Não deixe de acessar nossos materiais exclusivos com mais informações.

Comentários:

Manutenção Preditiva | 26 de agosto
[…] é feita a coleta do fluido, uma das mais importantes de todo o processo. É preciso fazer a coleta com as ferramentas certas para implementar o programa de manutenção. Após a coleta, a Oilcheck recebe a amostra e é o […]

Comentários:

Manutenção Preditiva | 08 de agosto
[…] Para que as empresas evitem problemas irreparáveis como esses, a indicação é investir em análise de óleo. Essa técnica auxilia na detecção dos primeiros sintomas de desgaste em componentes de […]

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS