Tudo para você melhorar a performance dos seus equipamentos e evitar manutenções de alto custo. Fale com um especialista

Análise de Óleo

Passo a passo: como fazer a coleta correta do óleo

 27 de setembro

Introdução

A análise de óleo é uma das mais importantes ferramentas da manutenção preditiva, permitindo avaliações rápidas e precisas sobre a condição dos equipamentos. A partir da análise, verifica-se o desgaste de peças móveis e a presença de substâncias contaminantes, promovendo a ampliação do tempo de vida útil do maquinário das empresas.

Contudo, conhecer as especificidades de seus equipamentos e o procedimento de coleta adequado para cada problema também pode ser algo essencial para a eficácia da manutenção preditiva. Neste post, você poderá conhecer o nosso passo a passo para a coleta adequada do óleo.

Escolha as análises certas

A análise de óleo pode ser feita em três tipos de fluidos: lubrificante, diesel e hidráulico. A contaminação no lubrificante pode comprometer sua eficácia e acarretar problemas ao maquinário, demandando paradas para manutenções e trocas. Já o diesel, quando contaminado, pode vir a comprometer a produtividade dos equipamentos, além de apresentar falhas prematuras em bombas e bicos injetores. Por sua vez, um sistema hidráulico contaminado pode apresentar falhas em bombas e válvulas, desgastar o equipamento, demandar excesso de trocas de óleo e perder a eficiência por fugas internas. Portanto, realizar a correta análise de óleo é fundamental no processo da manutenção preventiva.

Já postamos alguns textos sobre a importância de se escolher a análise de óleo adequada. No último post, explicamos o porquê de esse conhecimento ser essencial para antecipar riscos, reduzir custos de manutenção e aumentar vida útil.

Ao longo da análise, o óleo passa por várias amostragens, que chamamos de “ensaios”. O objetivo dos ensaios é diagnosticar com precisão a qualidade do óleo a partir de propriedades como viscosidade, acidez, densidade, basicidade, teor da água, ferrografia e corrosão.

Coleta do óleo

Para uma coleta do óleo perfeita, o equipamento deve ser movimentado e ter todos os seus implementos acionados para que o óleo circule pelas peças, mantendo as partículas em suspensão.

É importante lembrar que se o equipamento esteve sem funcionamento por mais de 30 minutos, ele deve ser movimentado novamente.

Além disso, para evitar a contaminação da amostra no campo durante a coleta, utilize o kit Oilcheck que é devidamente desenvolvido para essa função. O kit inclui o frasco de coleta lacrado, 1,5 metros de mangueira, ficha de identificação e um saco plástico “zip-lock” para armazenamento, que evita a contaminação durante o transporte.

As seguintes recomendações devem ser seguidas: o local da coleta deve estar bem limpo; as amostras de óleo jamais devem ser retiradas diretamente do dreno ou de recipientes de drenagem. Elas devem ser depositadas em bombas de coleta ou frascos próprios para a armazenagem.

Para a coleta em bombas de óleo, primeiramente, é importante cortar a mangueira coletora com tamanho de aproximadamente um palmo maior que vareta de nível. No caso do bocal do enchimento, corte-a em um tamanho suficiente para atingir no máximo 5 centímetros do nível do óleo no reservatório.

Prenda a mangueira na bomba de forma que a ponta não entre no frasco de coleta e aperte a porca para que a mangueira fique firme e estável. Tenha muito cuidado no manuseio da mangueira para evitar contaminações. Destampe o frasco de coleta e guarde a tampa no saco de proteção, após isso, insira a mangueira na entrada do local de enchimento ou no tubo da vareta de nível. Com isso, você já pode começar a bombear, mas caso o óleo não esteja sendo puxado, desça a mangueira um pouco mais no reservatório. Lembre-se que a coleta deve ser aquecida antes do procedimento.

Quando o frasco estiver cheio, solte a porca da bomba para que o ar entre e o óleo pare de ser puxado. Como a bomba é a vácuo, é muito importante não inclinar o frasco e mantê-lo sempre em posição vertical, evitando o contato da bomba com o óleo. Após a coleta, retire a mangueira do reservatório cuidadosamente, para não derramar óleo no chão. Remova o frasco da bomba e tampe-o firme imediatamente.

Por fim, mantendo a bomba na vertical, empurre a ponta da mangueira para baixo e a limpe bem. Depois, vire a bomba com a ponta da mangueira para cima, refaça a limpeza e puxe a mangueira para baixo. É muito importante preencher a etiqueta de dados devidamente e anexá-la ao recipiente ao final da coleta, além de nunca reutilizar a mangueira usada, que deve ser descartada em local adequado.

Baixe aqui o nosso guia ilustrado, para entender melhor sobre o passo a passo da coleta de óleo.

Conclusão

A partir de uma análise de óleo e do procedimento de coleta adequado, empresas podem ter em mãos informações fundamentais para a tomada de decisão, podendo desfrutar de benefícios como o prolongamento da vida útil das máquinas e redução de custo de manutenção. Com o auxílio dessas técnicas, uma equipe responsável pela manutenção de equipamentos pode identificar erros e problemas com antecedência.

Os especialistas da Oilcheck estão sempre prontos para te ajudar na coleta correta do óleo e nos demais processos da manutenção preditiva. Entre em contato e tire suas dúvidas.

Posts

Mais lidos

Manutenção Preventiva x Manutenção Preditiva: Saiba a Diferença Manutenção preditiva: tudo o que você precisa saber sobre o assunto Quais os objetivos da manutenção preditiva? Análise de óleo: tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Descubra o que é MTTR e MTBF e quais são suas diferenças O que significa o S10 para óleo diesel? As falhas mais comuns ligadas à lubrificação de motores Saiba qual é o Planejamento e Controle da Manutenção ideal As cinco funções básicas do óleo lubrificante Motor a diesel: você conhece suas principais partes?

Material

Gratuito

Gostou do que leu? Deixe um comentário!

Receba as atualizações e novidades do Blog

Thank you! Your submission has been received!

Oops! Something went wrong while submitting the form :(

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG
MANUTENÇÃO PREDITIVA
E SAIBA TUDO PARA MELHORAR
A PERFORMANCE DOS SEUS EQUIPAMENTOS